Atelier Drinks

Sem crise! Mercado de casamentos não conhece o que é recessão

Categoria : Espaço do Bartender
Data : 01 de fevereiro de 2016

A crise pode até adiar o tão sonhado casamento, mas não põe fim a uma tradição que, mesmo em tempos difíceis, movimenta um mercado de billhões de reais. Só em 2014 foram gastos R$ 16,4 bilhões com celebrações, incluindo casamentos, que são os eventos mais representativos do setor, de acordo com a Associação Brasileira de Eventos Sociais (Abrafesta). No país, já são mais de 8,5 mil empresas no ramo.

Para se ter uma ideia, mais de 1 milhão de uniões foram realizadas no Brasil no ano passado,de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dessas, 10 mil em Salvador. O setor de casamentos mostra uma força tão grande que há até fila de espera de fornecedores para entrar em feiras especializadas do ramo na capital baiana, a exemplo da Expo Noivas Bahia, que começa hoje.

Segundo empresários do ramo, para cada dez festas realizadas, nove são de casamento e apenas uma de 15 anos. A 22ª edição do Guia para Noivas, que também será lançada hoje, tem mais de 300 anunciantes.

A empresária e consultora de casamentos Karina Ieno explica por que os casamentos continuam em alta no mundo da economia: "Como é algo que mexe com sonhos, os preparativos são feitos de um a dois anos de antecedência". Para ela, a crise não faz com que as pessoas deixem de casar, elas apenas mudam o planejamento e fazem cortes no orçamento.

 

 




Voltar

Orçamento